segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Acusado de matar filhos em incêndio é transferido para o Presídio Central

João Guatimozin Moojen Neto, de 22 anos, passou por avaliação no Instituto Psiquiátrico Forense

João Guatimozin Moojen Neto, de 22 anos, está detido no Presídio Central, em Porto Alegre. Na semana passada, ele passou por uma avaliação no Instituto Psiquiátrico Forense (IPF). O homem é acusado de atear fogo no apartamento em que residia, causando a morte dos dois filhos e de um vizinho, além de jogar a mulher pela janela. Ele foi indiciado por triplo homicídio e uma tentativa de homicídio. Os crimes são qualificados por meio cruel (uso de fogo) e motivo fútil (desentendimento com a mulher).

Na noite da quarta-feira passada, o jovem entrou em discussão com Bárbara Pena de Moraes Souza, de 19 anos, no apartamento em que o casal residia com os dois filhos na avenida Panamericana, no bairro Jardim Lindóia. Após, ele saiu de casa e, quando retornou, já estava sob o efeito do uso de cocaína, segundo a polícia. O jovem agrediu a companheira, colocou fogo no imóvel e atirou Bárbara pela janela. Isadora Penna de Moraes Moojen, de dois anos, e João Henrique Penna de Moraes Moojen, de quatro meses, morreram em razão do fogo.

Um vizinho, Mário Ênio Pagliarini, de 76 anos, também foi encontrado morto nas escadas do prédio. A suspeita é que ele tenha caído e inalado fumaça. Bárbara foi encaminhada ao Hospital Cristo Redentor, onde, na manhã desta segunda-feira, estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave.

Fonte: Rádio Guaíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.